segunda-feira, 16 de julho de 2012

A escolha da variedade ou raça do canário


Os canários actualmente estão distribuídos em:

Canários de cor, com ou sem factor vermelho;

Canários de forma ou posição;

Canários de canto clássico.

É desejável que o pretenso iniciante visite uma exposição onde possa observar e ouvir (no caso dos canários de canto) todas as variedades. De qualquer modo já é um bom princípio visitar uma exposição local ou regional.

Entre os canários de cor a opção mais fácil recai sobre os canários sem factor (brancos, amarelos) que dispensam a administração diária do suplemento corante (cataxantina) para manifestar toda a plenitude de suas cores.

A administração da cataxantina além de onerosa é trabalhosa e mesmo criadores experientes costumam ter problemas com sua administração.

Aconselho, portanto, que os principiantes iniciem com brancos e amarelos até mesmo com pássaros da linha escura sem factor.

Aqueles que optarem pelos canários de forma ou posição deverão decidir por uma ou duas raças, no máximo. Os ingleses, tradicionais criadores das raças de porte e desenho, são quase sempre especialistas em uma determinada raça border, norwich, yorkshire, gloster, fife-fancy, etc.

Aqui, ao contrário dos canários de cor cada raça apresenta características próprias que deverão ser observadas e trabalhadas.

Com relação aos canários de canto-clássico é necessário ser dotado de um certo dom musical ou será completa perda de tempo e dinheiro. Estes pássaros são avaliados pelas notas ou conjuntos de notas musicais que emitem. Exigem muita paciência e tempo para ouvi-los e seleccionar os melhores cantores. Definido o que criar vamos adiante.