terça-feira, 9 de outubro de 2012

Canário Selvagem da Ilha da Madeira - Diferente de todos os Outros



"Oriundas das ilhas Canárias, da Madeira e dos Açores, as várias espécies de canário estão disseminadas em todo o mundo, sendo bastante comuns entre nós, já desde há muitos séculos.

Porém, a história do Canário Arlequim Português, a única raça 100% nacional, é relativamente recente.

O padrão da raça foi desenvolvido de forma mais sistemática após a década de 80 e no que respeita ao reconhecimento oficial, a sua homologação aconteceu em Portugal apenas em 2000, já no século XXI.



A Cores

Quando se pensa em canários, duas cores saltam à memória: o amarelo e o cor-de-laranja.

Para conhecer o Arlequim Português há que esquecer tudo o que genericamente é tido como certo acerca de canários. Falamos de uma ave muito especial, de tipo rústico, corpo longo e esguio, de cabeça estreita.

Estes canários, inicialmente combinavam o amarelo com o verde ou o branco com o cinzento, mas, mais recentemente, já contemplam o bronze, o laranja, o amarelo e o castanho, este último na zona do dorso.

Da soma destas partes fica a imagem de um canário esbelto e muito alegre, o que é indiscutível ao observar-se a vivacidade da sua expressão e ao ouvir-se o seu canto, ou não fosse ele uma ave canora.

Poupa

Peculiar, original e único.

Assim é um dos traços do Canário Arlequim Português que não escapa nem à primeira vista: a sua poupa no topo da cabeça.

Trata-se de um fenómeno mutante que se tornou comum e o qual se pretendeu fixar como um dos factores distintivos do Arlequim.

O seu preço varia consoante apresenta mais ou menos traços do padrão da raça, podendo, por isso, ir dos dois aos três dígitos.

Apesar de jovem a raça cativou inúmeros adeptos, mas mesmo quem não é fã não fica indiferente a este canário coroado."

A fonte: Revista "INSTINTO"
by:  http://arlequimportugues-canario.blogspot.pt