terça-feira, 9 de outubro de 2012

Chás para as aves


TRATE SUAS AVES COM PRODUTOS NATURAIS

Nada melhor que tratar suas aves com produtos naturais, a natureza é o melhor caminho pra tudo, alem de serem naturais os produtos não agridem tanto suas aves e podem funcionar como preventivos e suplementos dispensando assim os produtos industrializados.
Abaixo vou citar alguns produtos utilizados por vários criadores de todo o mundo para manterem seus planteis sadios e sem abusar de produtos muito fortes nas suas aves.

CHÁ DE BOLDO:
(pneumus boldus), folhas.
Planta medicinal oriunda do Chile. Os índios dos Andes sempre utilizaram como digestivo e como laxante.

Esta planta tem sido tradicionalmente associada a uma benéfica ação como hepático e da vesícula biliar. 
Modo de usar : uso este chá para a prevenção do famoso ponto negro (proventiculite), e para limpar e auxiliar o fígado das aves.

CHÁ DE CARQUEIJA:
(pteurospartum tridentatum), flor.
O conhecimento empírico adquirido ao longo dos tempos tem permitido associar a esta planta uma benéfica ação no aparelho respiratório, nomeadamente no alivio da tosse (catarro) e como estimulante da vesícula biliar. 
Modo de usar: uso este chá para prevenção dos problemas respiratórios.

O MEL E A PRÓPOLIS
:(própolis sem Álcool).
Antibiótico natural. A utilização da própolis e do mel tem ação: antimicrobiana, antifúngica, antivirotica, antiprotozoário, bactericida e bacteriostatica, anestésica, antiflamatoria, antioxidante, estimulante sexual, cicatrizante, estimulador do sistema imunológico entre outros.
Maneiras de usar: Há varias maneiras de usar, eu utilizo o mel na farinhada uma vez por semana. E a própolis uma vez por mês, uma ou duas gotas em 40ml de água.
 
TANCHAGEM: folhas e sementes.
A tanchagem detém qualidades adstringentes, depurativas, cicatrizantes,
expectorantes e hemostáticas, afecções respiratórias, diarréia, desinteira e
inflamações crônicas, antibacterianas e dizem ser um ótimo preventivo
contra “peito seco”.
Maneiras de usar: uma folha a cada 15 dias ou chá. Sementes quando estão maduras também são excelentes.
 
PEPINO:
Rico em fibras, vitamina C, folato, silícia e flúor, auxilia o fígado e o sistema digestivo como um todo, auxilia no canto e principalmente ajuda na muda de penas.
Maneira de usar: na época da muda de penas uma vez por semana e após a cada 15 dias.
 
BABOSA: Aloe Vera.
O Aloe vera é uma planta utilizada para diversos fins medicinais há muitos anos. Geralmente é utilizada para problemas relacionados com a pele (acne, queimaduras, psoríase, hanseníase, etc). Pesquisadores encontraram relatos do uso desta planta entre civilizações antigas como os egípcios, gregos, chineses, macedônios, japoneses e mesmo citações na Bíblia deixam claro que era comum o uso desta planta na antiguidade.
É um poderoso regenerador e antioxidante natural. A esta planta são reconhecidas propriedades antibacteriana, cicatrizante, capacidade de re-hidratar o tecido capilar ou dérmico danificado por uma queimadura, entre outras.
Nos canários é usada nos pés para pequenos machucados e escamas.
Maneira de usar: pegar um pedaço de babosa e passar nos pés dos canários fazendo uma leve massagem. Recomenda-se o uso por sete dias.
 
ALHO: São muitos os benefícios.
As aplicações do alho regra geral são as seguintes:
Antibiótica, Antiinflamatória, Antimicrobiana, Antiasmática,
Antioxidante, Anticancerígeno, Protetor cardiovascular entre tantos outros.
Seu uso em canários e aves em geral é muito difundido e utilizado principalmente
na Europa.
Maneira de usar: Há varias modos de usar, cada criador tem uma maneira diferente e proporção já fixada em seus planteis. Pode ser usado na água, in-natura, frito, granulado, etc... Eu utilizo granulado ou in-natura misturado com a farinhada na proporção de 5% para cada kilo.
Amigos não deixem de usar este maravilhoso antibiótico natural.
 
SALSA:
Rica em vitaminas A, C, D, B1 e B2, ferro, cálcio, potássio e sódio.
Tem ação diurética. Ajuda na eliminação de ácido úrico.
É ainda utilizada para facilitar a digestão.
Por ser alcalina é considerada purificadora do sangue.
Nas aves ajuda na respiração, visão e na carência de vitamina A.
Maneira de usar: Triturar e servir com a farinhada.

COENTRO:
O coentro é uma excelente fonte de fibras dietéticas, ferro, magnésio e manganês.
As sementes de coentro funcionam como um estimulante para o estômago e o intestino, e principalmente o fígado das aves. O coentro é rico em vitamina A.
Maneira de usar: Para limpeza do fígado e prevenção coloque um punhado de semente de coentro lavada em um litro de água fervente. Deixe esfriar e sirva nos bebedouros por sete dias.
 
PICÃO: Bidens pilosa.
Espécie encontrada em todas as regiões tropicais e subtropicais, comumente invasora em cultivos. Considerada um inço entre hortaliças. Suas sementes se agarram, se você passar por entre pés de picão.
Indicação:
 Chá de Picão: anti-séptico, catarros, hepatite, infecções do estômago e rins, intoxicação alimentar, pâncreas, para o fígado das aves, é também um vermífugo natural. 
Maneira de usar: Coloque 3 colheres de sopa de erva para um litro de água, ou se você tiver in-natura, mais ou menos uma xícara de cafezinho da planta picada para ½ litro de água. Quando a água alcançar fervura, desligue e espere esfriar. Forneça nos bebedouros por sete dias.
 
"Banhos de picão-preto são ótimos para aliviar irritações provocadas por picadas de insetos. Basta preparar um chá bem forte, deixar esfriar e banhar o local afetado. Se tiver folhas frescas também pode macerar com água e lavar a área afetada por três dias. "
 
ERVA-DE-SANTA MARIA: ( MENTRUZ ).
Herbácea de raízes oblongas, brancas e com interior amarelo de folhas lanceoladas, pequenas e dentadas. Suas flores são pequenas e brancas, ou esverdeadas. Seus frutos são secos, pequenos e possuem numerosas sementes negras. É também conhecida como Mastruço, ambrósia, anserina, chá-do-méxico, mastruz, matruz, menstruz, mentraz, quenopódio e erva-formigueira.
Indicação:
Vermífugo, laxativo, circulação, contusão, hemorragia interna.
Para aves é usado como vermífugo.
Maneira de usar: Coloque 2 colheres de sopa de erva para um litro de água, quando a água alcançar fervura, desligue e deixe esfriar. Fornecer em bebedouros por três dias.

CONFREY: Symphytum officinale
Originário da Europa e Ásia, o Confrey, Symphytum officinale L., é uma planta herbácea e perene que se concentra em uma pequena touceira; pode atingir até 90 cm de altura.
Indicação:
contusão, deslocamentos, dores, cortes, feridas, fissuras, fraturas, furúnculos, luxações, pele (erupções, inflamações, irritações, tecidos necrosados, manchas, irritações), queimaduras, picadas de insetos.
Maneira de usar: Só deve de ser utilizada em compressas e lavagem. O chá é prejudicial, podendo causar intoxicação.
   
PITANGA: Eugenia uniflora
A pitangueira é conhecida como Eugenia uniflora, L, Dicotyledonae, Mirtaceae. O fruto, por ser vermelho escuro (pitangueira vermelha), era conhecido pelos índios tupi-guaranis pelo nome de Pitanga. A pitangueira é uma pequena árvore que nas regiões subtropicais alcança de 2m a 4m de altura, mas, vegetando sob óptimas condições de clima e de solo, alcança alturas acima de 6m, quando adulta. As folhas pequenas e verde-escuras, quando formadas, exalam aroma forte e característico.
Indicação:
Chá de Pitanga. Afecções do fígado e auxilia no sistema respiratório. 
Maneira de usar: Coloque 3 colheres de sopa de erva ou uma xícara de café de folhas in-natura para um litro de água, quando a água alcançar fervura, desligue e deixe esfriar. Sirva nos bebedouros por sete dias ou a cada 15 dias como preventivo.
 
ESPINHEIRA-SANTA:  Maytenus spp.
A Espinheira-santa ganhou esse nome justamente pela aparência de suas folhas, que apresentam espinhos nas margens e por ser um "santo remédio" para tratar vários problemas. Na medicina popular, é famosa no combate à úlcera e a outros problemas estomacais. Ao que parece, a fama é merecida: na Universidade Estadual de Campinas (SP), farmacologistas analisaram a planta em ratos com úlcera e, segundo os pesquisadores, "nos que tomaram o seu extrato, o tamanho da lesão diminuiu muito rapidamente e, em comparação com os remédios convencionais, a Espinheira-santa provoca menos efeitos nocivos".
Indicação:
Chá de Espinheira-santa, uso interno (sistema digestivo em geral e principalmente o figado). Uso externo (Compressas): para banhar áreas com feridas ou picadas de insetos.
Maneira de usar: Colocar em infusão, em um litro de água fervente, 2 colheres de sopa da erva, e deixar levantar fervura, desligar o fogo e deixar esfriar. Servir nos bebedouros por sete dias ou a cada 15 dias como preventivo.
 
CAMOMILA: Matricaria recutita.
A origem da Camomila, mais provável, é a Europa, onde é muito comum nos jardins públicos. Surpreende por suas utilidades: além de ornamental, produz um chá calmante e digestivo, suaviza a pele e embeleza os cabelos. As partes mais usadas são as flores e as folhas. Trata-se de uma das ervas mais antigas que a humanidade já utilizou. O intenso aroma despertou o interesse pela planta e antigos pesquisadores, atraídos pelo doce perfume, acabaram por descobrir várias das propriedades que a tornaram tão famosa. Os antigos egípcios tratavam uma doença semelhante à malária com o chá de suas flores.
Indicação:
O chá de Camomila é indicado para sistema digestivo, estresse, diarréia e para o fígado das aves
Maneira de usar: Em um litro de água fervente, coloque 1 colher de sopa de camomila e deixe levantar fervura, desligue o fogo e espere esfriar. Sirva nos bebedouros por quatro dias ou como preventivo a cada 15 dias.
 
VARIAS PLANTAS PARA O FIGADO
Há varias plantas e ervas que auxiliam o funcionamento do fígado e suas debilidades, então deixo esta lista abaixo para que vocês possam pesquisar sobre cada uma delas:
Óleo de Alho, óleo de germe de trigo, abacateiro, Alcachofra, amor-do-campo, abacaxi, açafrão, agrião, alfazema, almeirão, alecrim, algas, ananás, angélica, anis,  artemísia, arruda, babosa, bardana, bálsamo-do-líbano ou figatil, beijo-de-moça, bucha-paulista ou esfregão, beldroega, Boldo-do-chile, cáscara-sagrada, castanha-mineira, chá-mineiro, chapéu-de-couro, camará, cardo-santo, carqueja, coerana , chicória (raiz), celidônia, conduranga, dente-de-leão, erva-da-míngua, erva-tostão, espinheiro, fedegoso, feuillea, gervão-roxo, juá-de-capote, jurubeba, karatoa, mulungu, quitoco, sensitiva, uva-do-mato, espinho-maricá, juá (raiz), losna, mil-em-rama, pariparoba , pau-amargo, pau-para-tudo, pita,salsa, sapé, vinagreira, entre outros.
 
Se a sua ave já esta anda com problemas do fígado, há também uma fruta muito comum no Brasil. Dizem os pesquisadores que ela ajuda na regenerarão das áreas afectadas do fígado.
Vale a pena conferir e testar, pois mal não há de fazer. Trata-se da ACEROLA.
 
ACEROLA: Malpighia glabra L.
Outros nomes populares da Acerola Malpighia glabra: cereja-das-Antilhas, cereja-de-barbados, acerola (inglês), cereza de Antilles (espanhol), cerise d'Antilles (francês), ciliegia di Antilles (italiano), acerola (alemão), Antilles cherry, Barbados cherry, cereso, cerezo, escobillo, health tree, huesito, Puerto Rican cherry, West Indian cherry.
Os constituintes químicos da Acerola Malpighia glabra: ácido ascórbico (2-4%); ácido l-málico; ácido pantotênico; betacaroteno; carboidratos; caroteno; dextrose; frutose; hesperidina e outros bioflavonóides); limoneno; mucilagem; niacina; proteínas 4 g%, pró-vitamina A; riboflavina; rutina, sais minerais (ferro, cálcio 12 mg %, flúor 11 mg%, fósforo, magnésio, potássio, sódio); sucrose; tiamina; vitamina B6; Vitamina C (1-5 g/100 ml).
Algumas propriedades medicinais da Acerola Malpighia glabra: adstringente, antianêmica, antidiarréica, auxilia a regenerar o figado, antifungal, antiinflamatória, cicatrizante, mineralizante, nutritiva, vitaminizante entre outros.
Maneira de usar: in-natura, fornecer o fruto para as aves consumir. Por vezes há recusa das aves em consumir, por este motivo deve ser introduzido aos poucos na dieta alimentar do plantel. Pode também ser triturada e misturada a farinhada para melhor introdução na dieta de seu passaro. Outra forma de usar é fazer como se fosse um suco e colocar nos bebedouros, mas este método tem que ser assistido, pois após duas horas ela perdera seus poderes nutritivos. Eu não aconselho este ultimo método citado.
Como podem ver esta pequena frutinha é rica em benefícios para suas aves e vale a pena tentar introduzir na dieta do plantel, mesmo que seja somente na época de safra.
 
 Lembro a todos que leram este artigo que nada é “milagroso”. As plantas, frutas, legumes, ervas, etc... Acima citados todos têm seus benefícios e poderes curativos, mas às vezes o problema já esta por deveras adiantado e a solução não será alcançada.
Tudo o que foi citado acima deve ser introduzido no plantel aos poucos e sem pressa. Se você tiver receio de usar algo que foi citado, não use, ou use a metade da receita que é citada. Falo isso porque muitas vezes temos medo de introduzir coisas novas no nosso plantel, mas como o propósito do artigo é a forma natural de tratamento, vale a pena tentar introduzir o que você achar conveniente ao seu plantel. Tenho certeza que há mais benefícios do que perdas.
Tentei colocar ao Maximo itens que são facilmente achados no Brasil e alguns deixei de fora por serem muito difíceis de achar.
Espero que tenham gostado e boa sorte com suas aves.

FOLHAS DE HORTELÃ
 
Outra forma sem contra indicações de eliminar problemas digestivos, intestinais, hepáticos e até de certos acáros. São folhas maceradas em água e administradas no bebedouro, o poder de desintoxicação do hortelã já é conhecido até para nós, além da sensação de refrescância que ele dá. Alguém aqui tem alguma experiência com o hortelã?  

A minha experiencia com hortelã é comigo mesmo, e posso garantir que é uma beleza, em aves  e um bom antioçidante e desparisitante interno.